Os encantos de Joinville passam pela ponta dos pés dos bailarinos da Escola do Teatro Bolshoi. A cidade conta com a única filial da escola de fora da Rússia. Por isso, além de ser considerada a cidade das bicicletas e dos príncipes, é famosa por ser a cidade da dança.

Tantos diferenciais justificam a chegada do novo empreendimento da RV, que é o Flower Park Residence. Equipado com excelente acabamento, porcelanato e rebaixo de gesso em todo apartamento e fechaduras biométricas, o prédio reúne conforto e segurança no Bairro Atiradores, um dos melhores bairros para se viver em Joinville.

O Teatro Bolshoi de Moscou conta com mais de dois séculos de história e somente no ano 2000 resolveu inaugurar uma sede em outro país e o Brasil foi o eleito. De acordo com as palavras do diretor-artístico na época, a escolha se deve à sensibilidade dos brasileiros para a arte.

 

Desde então, Joinville recebe talentos de todo o Brasil, que buscam o sonho de viver da arte da dança. A seleção dos dançarinos costuma ocorrer entre os meses de setembro e outubro, quando diversos testes são aplicados.

Esse Paraíso?

Fica em Joinville mesmo, tem nome e endereço...

Como funciona a seleção

 

Foto: Manuela Schneider (www.escolabolshoi.com.br)


As oportunidades da Escola Bolshoi são disputadas, seguindo a média de 50 candidatos por vaga. O processo seletivo conta com procedimentos técnicos focados na busca por talentos e é aberto para qualquer indivíduo do Brasil ou do mundo.

A escola aceita novos alunos anualmente no curso básico de dança clássica, destinado a crianças entre nove e 11 anos, e também bailarinos de outras idades no curso técnico de dança.

A seleção é composta por três etapas: Motivacional, Pré-Seleção e Seleção.

Durante a primeira fase, os candidatos conhecem os trabalhos desenvolvidos pela escola e são estimulados a adentrarem no mundo da dança.

Na próxima etapa, os aspirantes a dançarinos fazem alguns testes práticos, onde os melhores passam para a última peneira: a seleção definitiva.

Após a garantia dos avaliadores de que o candidato é talentoso, ele é encaminhado a uma série de análises médicas e físicas, a fim de atestar todas as condições de saúde e corporais para a dança. Musculatura, articulações, frequência cardíaca e respiratória e possíveis desvios de postura são analisados.

Os dançarinos mais experientes, candidatos ao curso de nível técnico, são convocados para audições em diversas partes do país e até fora. Além da avaliação médica, o aspirante realiza um teste numa aula de balé. Giros, saltos, equilíbrio e coordenação motora são analisados.

Caso selecionado, as portas da Escola Bolshoi se abrem para o jovem, que deve dedicar bons anos da sua vida estudando para aperfeiçoar a arte da dança.

 

Pensando em mudar para o bairro Atiradores?

Isso é muito auspicioso

A vida na Escola Bolshoi

Foto: Cleber Gomes (www.escolabolshoi.com.br)


Por trás de belos espetáculos de dança, há uma infinidade de histórias de luta e determinação por parte dos dançarinos e de suas famílias. O comprometimento com a arte deve ser no mínimo proporcional ao talento.

A cada ano, são selecionados entre 50 e 60 novos alunos para integrar o corpo discente da Escola Bolshoi. Vindos de diversas localidades do Brasil, os jovens deixam para trás suas vidas nas cidades onde nasceram para seguir o sonho de brilhar nos palcos do mundo.

Há casos em que as famílias acompanham os pequenos dançarinos nessa jornada, trocando a terra natal por Joinville. Quando não é possível, as crianças são acolhidas por famílias sociais. O contato com a família original fica restrito a eventuais visitas.

A rotina de quem frequenta o Bolshoi é rigorosa. Como todos os alunos estão em idade escolar, o ensino regular é obrigatório. Os estudantes precisam manter rendimento escolar alto, com poucas faltas e médias acima de sete. As atividades relacionadas à dança ocorrem no contraturno das aulas tradicionais.

 

Na Escola Bolshoi, a educação diferenciada que vai muito além da dança. A rigorosidade do balé é misturada a afetividade pelo entendimento de que muitos estão longe de suas famílias, além de assumirem um cotidiano diferente do que outras crianças estão acostumadas.

As aulas de dança ocorrem cinco dias por semana, entre quatro e seis horas por dia. No Bolshoi, é utilizada a metodologia Vaganova para ensinar as técnicas de balé. Os alunos também aprendem Dança Contemporânea e disciplinas complementares.

Além de aprenderem uma profissão, os jovens dançarinos recebem educação e constroem cidadania. Todos os alunos estudam com bolsa integral, ou seja, não pagam nada pelo curso, mas são exigidos em comprometimento. Entre outros benefícios, estão a alimentação, transporte, atendimento fisioterápico e nutricional, assistência odontológica e médica.

Para visitar a Escola Bolshoi

Localizada no Centreventos CauHansen, a Escola Bolshoi conta com estrutura totalmente direcionada à formação dos bailarinos. Salas de aula de balé, estúdios de música, vestiários, espaços culturais, entre outros, ficam disponíveis.

A visita à escola é possível em qualquer dia, desde que seja agendada para que um guia se prontifique a tornar a experiência mais completa. Logo na chegada, é possível se encantar com uma exposição itinerante, sempre relacionada à dança.

Foto: Manuela Schneider (www.escolabolshoi.com.br)

Durante a visita, o visitante pode acompanhar alguns ensaios e aulas ocorrendo no momento. No espaço da escola, também está o ateliê onde são confeccionadas as roupas dos dançarinos. Na saída, um espaço com itens de dança como sapatilhas e souvenirs fica aberta ao público.

A Escola Bolshoi fica na Avenida José Vieira, 315, Bairro América, a apenas dez minutos do Bairro Atiradores.

Quer saber mais?

Seja o primeiro, atire-se!